Glúten e Doenças

Doença mais comumente associada à intolerância severa ao glúten, a doença celíaca se caracteriza por uma reação imunomediada, sistêmica,que ataca e danifica as vilosidades do intestino. As vilosidades intestinais são estruturas responsáveis pela absorção nos nutrientes que ingerimos.

Os sintomas mais comuns de doença celíaca são: gases, distensão abdominal, diarreia crônica, desordens gastrointestinais de maneira geral, sendo bastante comum o quadro de desnutrição, dada a má absorção dos nutrientes ingeridos, levando a outros problemas de saúde em decorrência da doença celíaca. Em crianças também se observa a perda ou baixo ganho de peso e baixo desenvolvimento da estatura. São comuns também manifestações na pele como a dermatite herpetiforme, hipoplasia do esmalte dentário, entre outras. Os sintomas podem aparecer em qualquer idade.

O diagnóstico é feito por avaliação clínica, exames sorológico, entre os quais: exames para Anticorpo antitransglutaminase (anti-TTG – anticorpo presente quando há lesão do revestimento do intestino), Anticorpo antiendomísio (EMA) – anticorpo presente quando há lesão do revestimento do intestino), Anticorpo antigliadina eHLA-DQ2 E HLA-DQ8 (São marcadores genéticos que quando presentes, um ou os dois, indicam grande probabilidade de desenvolvimento de doença celíaca). Além dos exames citados, geralmente é solicitada a endoscopia com biópsia do intestino delgado para confirmação do diagnóstico.

É importante ressaltar que a retirada do glúten antes da realização dos exames e diagnóstico compromete o resultado dos exames.

O tratamento para doença celíaca, até o momento, é a dieta completamente isenta de glúten, com muita atenção aos rótulos e à contaminação cruzada. Como organismos únicos, há variados graus de reação a contaminação acidental com o glúten.

Além da doença celíaca outras doenças estão associadas ao consumo de alimentos com glúten como a alergia ao trigo (hipersensibilidade à proteína do trigo) e a sensibilidade ao glúten não celíaca (SGNC – os exames de diagnóstico para doença celíaca dão resultado negativo, mas os sintomas semelhantes aos da doença celíaca cessam com a dieta sem glúten).

Há muitos relatos de pessoas que se beneficiaram com dietas isentas de glúten ainda que não haja comprovação de relação causal entre o consumo e essas patologias. Não é incomum o relato de pessoas que tenham sentido a melhora de suas crises de enxaqueca, doenças inflamatórias, doenças autoimune, entre outras.

Seja qual for a condição, acompanhamento médico e nutricional é sempre importante e manter uma alimentação e estilo de vida saudável também.

Fontes

William Davis. Barriga de Trigo – wmfmartinsfontes – São Paulo. 2015

Amy Myers. Doenças Autoimunes – – wmfmartinsfontes – São Paulo. 2016.

https://site.medicina.ufmg.br/gastroped/wp-content/uploads/sites/58/2017/12/doencas-relacionadas-ao-gluten-20-12-2017.pdf

http://www.fleury.com.br/medicos/educacao-medica/artigos/Pages/doenca-celiaca.aspx

Deixe uma resposta